Tamanhos de camas e colchões: casal, queen size, king size

Recentemente recebemos num comentário aqui no Meu Colchão a seguinte consulta.

Olá, eu gostaria de saber qual a diferença entre casal, queen e king, tenho uma cama que é um pouco maior que a de casal, e não sei qual colchão comprar. Desde já agradeço.

Infelizmente, não temos condições de dar uma resposta objetiva a essa pergunta, porque fabricantes diferentes costumam ter especificações distintas para cada um destes nomes.

infinity e1262608836815 Tamanhos de camas e colchões: casal, queen size, king size

Por exemplo: há regiões em que o king size é um colchão de 1,60m de largura, em outras este mesmo colchão é chamado de queen size.

Assim, a indicação que temos a fazer é que a pessoa tire as medidas exatas da cama e vá à loja experimentar o colchão que vai comprar munida desta informação, para evitar aborrecimentos futuros.

A título de informação, contudo, apresentamos uma tabela com os tamanhos “oficiais”, utilizados nos Estados Unidos (onde se criaram os nomes que são utilizados amplamente). Para facilitar, as medidas que apresentamos são as correspondentes ao padrão industrial brasileiro.

Nome Largura Comprimento
Twin (solteiro) 0,90m 1,88m
Twin XL 1,00m 2,03m
“Cama de viúva” 1,20m 2,03m
Full (casal) 1,38m 1,88m
Full XL 1,38m 2,03m
Queen 1,58m 1,98m
Cal King 1,86m 2,03m
King 1,93m 2,03m
King Split 2,00m 2,03m

Observações

  • Reiteramos que a tabela acima apresenta os nomes em Inglês, mas as medidas são as que os fabricantes brasileiros praticam.
  • A cama de tamanho “king split” (split quer dizer partido) na verdade é composta de duas camas de solteiro extralargas.
  • Além dos tamanhos acima, a indústria brasileira também fabrica colchões nos tamanhos 0,78m x 1,88m e 1,28m x 1,88m (entre muitos outros). Isso acontece porque os padrões brasileiros mudaram, mas ainda há camas com os padrões mais antigos em uso e que demandam colchões novos.

Atenção: o texto acima ampara-se no direito fundamental à manifestação do pensamento, previsto nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Vale-se do “animus narrandi”, protegido pela lei e pela jurisprudência (conferir AI nº 505.595, STF).

  

55 Comentários