Colchões de densidade progressiva

Os assim chamados colchões de densidade progressiva são colchões de mola que contam em sua construção com diversas camadas sobrepostas de espuma de diferentes densidades acima do molejo; as mais densas na base do colchão, e as menos densas no topo ou vice versa.

Por exemplo:

  • viscoelástico na parte superior do colchão, para absorção de impacto e toque de conforto;
  • uma camada intermediária de espuma D33,  função ortopédica;
  • uma camada de AG D 100, sustentação, firmeza e sustentação de maior peso;
  • uma camada de espuma D45 na base fazendo a junção das partes;
  • as molas propriamente ditas, que são a estrutura do colchão que no conjunto final completam a sensação de conforto.
densidade progressiva Colchões de densidade progressiva

Esquema de um colchão de densidade progressiva

Assim, quando a pessoa deita sobre o colchão de densidade progressiva, a pressão exercida pelas diversas partes do corpo será absorvida pela camada de espuma correspondente. Por exemplo: a pressão que exceder a capacidade da espuma D33, no esquema acima, será absorvida pela camada de AG 100.

Com isso, um casal com pesos diferentes poderá usar o mesmo colchão, e ambos terão uma percepção de conforto bastante semelhante, sem precisar abrir mão da função ortopédica.

Dependendo da quantidade de camadas de espuma, variará a altura dos diversos modelos de colchão.

Atenção: o texto acima ampara-se no direito fundamental à manifestação do pensamento, previsto nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Vale-se do “animus narrandi”, protegido pela lei e pela jurisprudência (conferir AI nº 505.595, STF).

  

14 Comentários